escreve sobre bibliotecas... reflexões | dicas | debates | notícias | histórias | + reflexões... os serviços web e as bibliotecas :: o leitor e o utilizador :: o bibliotecário e o webmaster :: as tic e os técnicos de biblioteca :: a interoperabilid
.posts recentes

. alguns dos meus últimos t...

. International Literacy Da...

. apenas uma conversa... fi...

. Conversas sobre o futuro ...

. Bibliotecas para a Vida

. EdubitsUA 09 - A Bibliote...

. M-Libraries: algumas reco...

. 10º Congresso da BAD... a...

. A construção da rede e a ...

. Em jeito de adenda de act...

.arquivos

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

Terça-feira, 22 de Maio de 2007
V Jornadas de Ciência da Informação
O rato de biblioteca participou, com todo o gosto, e pela primeira vez, nas jornadas de Ciência da Informação. O gosto em participar advém de duas razões fundamentais: 1ª) identificação com a génese e fundamentação da existência da licenciatura em ciência da informação - um novo olhar sobre as competências dos profissionais das bibliotecas e informação, fazendo a síntese entre a área clássica das bibliotecas, arquivos e documentação e a área dos sistemas e tecnologias da informação; 2ª) valorização das iniciativas realizadas pelos estudantes, e consequentemente da atitude dos docentes responsáveis que os apoiam, porque é pondo as mãos na massa que se descobre a profissão e se cimentam conhecimentos.
Olhando de forma sintética as duas tardes de conferências, e numa perspectiva pessoal de valorização das jornadas, vale a pena destacar cinco tópicos em jeito de comentário final, já que das 5ªs jornadas se tratava:
1º) No segundo dia das jornadas, houve claramente um fio condutor nas conferências - projectos e realizações na rede ou em rede que são na sua essência gestão e promoção da informação, distinguindo-se por isso do primeiro dia, muito mais desgarrado, apesar de alguns contributos de novidade, como foi o caso da BNP (onde Inês Cordeiro apresentou algumas mudanças na BN - agora BNP), e contributos com profundidade na abordagem, como foi a sessão de abertura de Armando Malheiro da Silva. Interessante ainda no primeiro dia das jornadas, o comentário de Cecília Henriques da Torre do Tombo, sobre a existência de bibliotecários em serviços de arquivo, tecendo considerações que alimentam a velha questão da dicotomia arquivistas vs bibliotecários. Estranho, já que proferido no contexto de umas jornadas que, na sua essência, negam a separação dos arquivos e bibliotecas e assumem (génese da licenciatura em ciência da informação) uma perspectiva unitária - pena foi não ter escutado nenhum estudante a levantar esta questão, talvez porque nem espaço para debate existiu.
2º) Das mudanças apresentadas para a Biblioteca Nacional retive as relativas à porbase e catálogo colectivo. Inês Cordeiro indica a necessidade de readequar os serviços da porbase ao contexto actual, porque assentam num modelo pouco sustentável e se torna urgente começar a fornecer um outro tipo de serviço de pesquisa - transformar o conceito de catálogo colectivo, num conceito de serviço de pesquisa integrada, "um serviço em operação e expansão".
3º) Destacar a intervenção de Daniel Gomes, da FCCN, sobre a necessidade de criar as estratégias para o arquivo da web portuguesa. Esta é uma tarefa que está atrasada e que tem como objectivos ter o português como língua oficial na web, assumir a capacidade local de tratamento da informação na web sem depender de terceiros e fornecer dados para a ciência e para provas judiciais.
4º) O open software como oportunidade para a gestão de informação e o acesso livre à literatura científica foram temáticas que marcaram presença nestas jornadas, tendo sido assim, mais uma oportunidade para a divulgação destas ferramentas e iniciativas de promoção da democratização no acesso à informação e ao conhecimento.
5º) Do contributo do Paulo Sousa sobre a usabilidade na sociedade em rede, fica lançada uma interessante ideia - porque não criar no second life uma biblioteca que funcione como laboratório de estudo de usabilidade, interfaces de web e opac, utilizadores, estratégias de formação e comunicação... para continuar a reflexão em próximos encontros.



Comentar:
De
Nome

Email

Url

Guardar Dados?



Email

Password



Comentário

Máximo de 4300 caracteres




.mais sobre mim
.pesquisar neste blog
 
.Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.tags

. todas as tags

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO
.subscrever feeds